quinta-feira, 22 de abril de 2010

A verdade sem dúvidas é linda; assim como as mentiras.


Sabe quando você cansa de fingir pra todo mundo, inclusive pra você mesmo que está tudo bem, que você já superou tudo?
Sabe? Eu sei. Tem horas que é muito difícil segurar o choro, cortar as asas do pensamento, escrever sobre coisas bonitas. Tem vezes que o medo transborda pelos olhos e você precisa de alguém que te ponha no colo, que te diga palavras de afeto, que te proteja. Você se sente criança denovo, totalmente dependente de outro ser. É como se o completo não existisse, fica difícil fazer até as coisas mais simples sem manter o pensamento em quem ou no que nos falta. Eu venho sentindo muito isso ultimamente, venho sentindo coisas que nem eu mesma consigo decifrar, sei que não são boas, sei que não chega nem perto da palavra "superação", mas eu venho tentando fingir que passou, que está tudo bem, que é página virada, e pra ser sincera acho até que consegui enganar algumas pessoas, digo mais, digo que acho até que consigo me enganar por algumas vezes. Mas quando tudo passa, quando a realidade e a frustração vem a tona é como se toneladas de realidade caíssem sobre minhas costas.
De certa forma, volto a sentir saudades daquelas mentiras que me proporcionavam sentimentos mais leves.
Esse é um texto que eu escrevi no ano passado, e desde então essas mentiras vêm me perturbando...


Doces mentiras

E lá se vai mais um dia que eu vejo o tempo passando, as pessoas correndo, o mundo mudando. E a vida continua na mesma, o medo toma conta de tudo, supera a esperança de dias melhores, a realização e até mesmo a busca pela felicidade.
Andei pensando nesses dias sobre o poder que a mentira tem, sobre o domínio de uma doce mentira sobre uma dura realidade, e falo isso até por experiência própria mesmo.
Quando estamos frente a frente com uma situação que não nos parece favorável, preferimos acreditar em palavras jogadas ao vento, e as agarramos como se delas dependessem nossa vida, nossa salvação, nosso sentido...
Somos absurdamente felizes, mesmo sabendo que aquele momento de alegria é singular, e horas depois serão lembranças que nos atordoarão a todo instante, baterão nossa porta todas as vezes que fecharmos os olhos.
E outra vez tentaremos colocar os pés no chão, milhares de toneladas de REALIDADE cairão sobre nossas costas, e aí vem o choro, o desânimo pela vida, vontade de ficar só, de morrer...
E mesmo com os olhos tomados pelas lágrimas conseguiremos ver a sombra daquelas mentiras que devolvem nossa paz.
Já cansados da ausência e da privação e com os olhos inchados de tanto chorar, as perseguiremos por onde quer que estejam, e faremos delas mais uma vez a capa mais bela de um livro que nunca escreveremos.
Vanessa Moura, Maio de 2009

*O Título da postagem é de autoria de Ralph Waldo Emerson

Um comentário:

  1. quando você tá assim , precissamos de um mlehor amigo , ou a familia nosso porto seguro
    http://blogdakarinadelima.blogspot.com/

    ResponderExcluir